Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Balanço e paragem

 

“As pequenas “pausas de reflexão” constituem momentos retemperadores, que ajudam a tomar fôlego para o caminho que está por percorrer. Por momentos, o “encerrar para balanço” ajuda a encontrar um sentido mais rico no que se fez, naquilo que se fruiu, ou que nos desagradou; cria-se um pouco mais de lastro para continuar a navegar.”

                                                      Vasco Prazeres

 

            O que de melhor me aconteceu neste ano de 2009 foi o aparecimento de três pessoas na blogosfera que se tornaram minhas grandes amigas: A Marta, a Nucha e a Joana. Primeiro, apareceu a Marta com a sua compreensão, profundidade, serenidade e palavras sempre enriquecedoras cuja leitura me acrescenta e delicia. Em seguida, apareceu a Nucha com a sua autenticidade, garra, dádiva e imensa humanidade. E depois, a Joana com a sua ternura, sensibilidade, frescura no ser e meigo coração. A beleza interior que estas amigas irradiam iluminou os meus dias do ano de 2009. Foi em Agosto que iniciei este blog. Sempre muito avessa ao mundo virtual, aventurei-me. Uma aventura que só me tem dado alegrias e me permitiu, também, conhecer blogs maravilhosos, alguns dos quais nunca comentei, mas têm sido uma grande companhia a que recorro, como se recorre quando se precisa de um ombro amigo.

            No entanto, neste momento preciso parar: Preciso ganhar lastro. Só não queria era deixar de agradecer, antes desta paragem, o tudo que me tem sido oferecido nestes quatro meses.

            E… Desejar, a todos, um Natal pleno de luz e uma imensidão de amanhãs coloridos a rechearem o ano de 2010.

http://www.jacquielawson.com/viewcard.asp?code=2009810796006&source=jl999%5Cohttp://www.jacquielawson.com/viewcard.asp?code=2009810796006&source=jl999CTRL+Clicktofollowlink%5Ct_blank

           

            Soube-me bem, foi inspirador e agradeço o e-mail da minha amiga Nhó (Lavínia) que fala, no fundo, da essência da felicidade:

 

"Deliciei-me a percorrer alguns dos blogs que apareceram associados ao teu.  Apeteceu-me também escrever e deixar-me falar...  Apeteceu-me dizer que não é tanto procurar a felicidade quanto encontrá-la e, isso, sempre acontece dentro de nós, e que para isso, é bom acontecer uma espécie de sincronicidade entre o que vivemos fora e dentro de nós, dos nossos vários corpos.  E que a felicidade não é mais do que um estado de bem-estar físico, espiritual, anímico, connosco, com os outros e o mundo á nossa volta.  Fazer sopas ou bolos deliciosos, regar vasos e caminhar por jardins, ruas desertas ou á beira-mar, bordar, pintar, Servir, sorrir, dizermos bom-dia ao dia... respirar fundo, cheirarmos a nossa casa ou os que mais amamos... são tudo só pequenas maneiras de chegarmos até Ela porque ela não é complicada; nós é que complicamos muuuuiiiiito!  E a tal porta interior que abre para dentro, é por vezes muito perigosa de abrir...o que encontraremos lá?  E, de não ser aberta, as dobradiças já estão enferrujadas! Só há um segredo e esse segredo está num óleo, o óleo do Amor.

(...)

No fundo, o sorriso é a mais curta distância entre duas pessoas e, no fundo, o Caminho para a Felicidade liga-se ao Caminho da Sageza."

               

 

O futuro é o tecido do presente. Acreditemos no maravilhoso do amanhã, levando connosco o melhor do hoje.

 

publicado por descobrirafelicidade às 12:52
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Marta M a 27 de Dezembro de 2009 às 17:34
Querida Teresa:
Esta época do ano propicia ao balanço, à soma e até à correcção da trajectória, mesmo das boas...
Isso é ser humano.
Por isso compreendo (conheço...) essa tua necessidade de "parar" e "ganhar lastro". Porque quanto maior a profundidade, quanto mais "cavamos" dentro de nós, mais espaço encontramos. E temos que lhe ir dando sentidos.
Por isso amiga, faz o que tiveres de fazer, pára durante o tempo que precisares ou quiseres. Este é um espaço de liberdade e nós, as tuas amigas da blogsfera , entendemos.
Como não? Não foi por vibrarmos em dimensões semelhantes que o Universo nos aproximou?
Esta tudo dito, portanto.
Quanto às palavras que me diriges, agradeço-as de forma penhorada, porque se as mereço de alguma forma, isso significa que tenho acrescidas responsabilidades. Sim, assumo o cuidado de todos os meus amigos e tu, evidentemente, estas incluída.
Acredito que "somos responsáveis por aqueles que cativamos" Saint Exupéry ) e que se o nosso compromisso é com toda a humanidade, mais o será com aqueles que nos são próximos e com os quais temos tantas afinidades...
Muito obrigada eu, pelas palavras boas e claras, pela imensa sensibilidade e sabedoria que colocas nas tuas palavras, pelos ensinamentos que invocas e partilhas e pelo espaço de tranquilidade que é este teu blog. Um verdadeiro templo, como já disse.
Por tudo o que fica dito e apesar disso:
Não demores amiga, já "precisamos"de ti ;)
Abraço enorme e até qualquer hora .
Marta M
De Caminhando... a 27 de Dezembro de 2009 às 22:26
Amiga Marta!
Não pude deixar de sorrir ao ler este teu comentário.
Enviei um mail à Teresa em que, entre outras coisas, agradeci as palavras que aqui me foram dirigidas e, referi-me à amizade utilizando essa mesma frase de Saint Exupéry e a ideia de que a amizade não é apenas e só mais uma pois, a partir do momento em que cativamos alguem, temos inteira responsabilidade para com ela, devendo por isso dedicar-lhe tod a atenção, dedicação e cuidado.

Sabes, existem momentos em que se sente que se é o unico a pensar de uma determinada forma e que, se está a lutar por um valor que é perfeitamente desprezado pelas pessoas de um certo meio em que se está inserido. E é isto que sinto relativamente à falta de consideração que muitos têm pela amizade.

Resumindo, o que quero dizer é que, ao encontar pessoas que tratam a amizade com todo o respeito que ela merece, sinto um grande conforto. No fundo sinto que não estou só nesta luta e fico muito contente por ver que nem todos estão a ser levados por toda esta onda egocentrica e indidualista que agora se vive...

Um grande beijinho
De Marta M a 29 de Dezembro de 2009 às 23:53
Olá Joana!
Só agora percebi que este comentário era para mim.. ;)
Perdoa-me!
Conheço bem esse sentimento de isolamento quando se defende os valores emque acreditamose mais, que sabemos serem certos e a preservar. Felizmente vamos encontrando cada vez mais gente que os partilha e afinal andava por aí um "maioria silenciosa"
Abraço enorme.
Nota: Já sinto saudades da Teresa...
De Caminhando... a 29 de Dezembro de 2009 às 23:58
: )
Não tem problema nenhum ;)

E tão feliz que me faz esta "maioria silenciosa"!!

Também já sinto falta de a ter aqui... mas temo-la num sitio bem mais especial e bem juntinho a nós

Abraço mto grande
De descobrirafelicidade a 30 de Dezembro de 2009 às 16:52
Cá está a tua compreensão que sinto ser sempre tão grande e as tuas palavras que me fazem sentir milionária. Muito obrigada Marta por tudo. Um abraço muito amigo e grato para ti

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Portfolio da felicidade

Amizade, respeito e liber...

Magnolia

Recursos emocionais renov...

Três lições do Tao

A bagagem da outra pessoa

Nostalgia

Encontrar o nosso "apelo ...

Coerência interna

Autonomia interior

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009



“Tenho uma missão, embora pequena: Ajudar outros que, como eu, andam à procura, quanto mais não seja pelo facto de lhes garantir que não estão sós.”

Herman Hesse

tags

todas as tags