Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

A vida com humor

             “O dia mais mal gasto de todos é aquele em que não nos rimos”

                                                                                       S. Chamfort

 

             “O riso é o caminho mais directo entre duas pessoas.”

                                                                                         C. Chaplin

 

O humor torna-nos a vida mais fácil. Está provado que quem ri é mais produtivo, mais criativo, mais comunicativo, toma decisões mais rapidamente e não tem tanta propensão para a doença, pois o riso fortifica o sistema imunológico e liberta endorfinas que combatem a dor. Um minuto de riso equivale a cinco de relaxamento e dez minutos de riso incontido baixam as dores físicas durante, pelo menos, duas horas.

Como nos diz Helena Marujo: Com humor a comunicação melhora, a aceitação mútua cresce, a frustração tem um encaminhamento mais adequado.

Não há dúvida que, mesmo entre estranhos, uma gargalhada em conjunto abre as portas do entendimento.

Vale a pena adicionar algumas boas gargalhadas ao que fazemos quotidianamente e encarar a vida com mais humor.

 

Soube-me bem: As boas gargalhadas que dei com um colega.

 Foi inspirador: Lembrar-me de C. Chaplin

 

                 Agradeço: A capacidade que tenho de rir.

 

tags:
publicado por descobrirafelicidade às 16:34
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Marta M a 28 de Novembro de 2009 às 22:03
Querida Teresa:
Numa semana compriiiiida , não tive capacidade para vir aqui ao meu "espaço" de repouso que é o teu blog..Hoje vejo que nos falas de riso ou da capacidadede o manter, coisa bem mais difícil como já se sabe...
Obrigada pelo vídeo do Chaplin , esta semana (coincidências..) também fiz os meus alunos visualizar os "Tempos Modernos" a propósito do Fordismo e do Taylorismo. No meio das gargalhadas que o Charlie arranca até mais sisudo, ficaram a pensar na desumanidade dos métodos parodiados...
A aula também deve educar o sentido crítico. Acho que a História se outro mérito não tivesse, há de ter esse.
Abraço
De descobrirafelicidade a 30 de Novembro de 2009 às 23:34
Marta
Deu para sentir que a semana passada estava a ser bem comprida para ti. Só desejo que o feriado desta dê para encurtar um pouco as dificuldades que estás a viver e te traga algum repouso. Um abraço de boa noite

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Portfolio da felicidade

Amizade, respeito e liber...

Magnolia

Recursos emocionais renov...

Três lições do Tao

A bagagem da outra pessoa

Nostalgia

Encontrar o nosso "apelo ...

Coerência interna

Autonomia interior

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Descobrir a Felicidade

O tema da felicidade tem dominado os livros, estudos académicos e palestras dos últimos tempos. Inunda campos que vão desde a filosofia política, psicologia, sociologia e literatura até modelos económicos. Procura-se a “fórmula da felicidade” e a solução da “equação da felicidade”. As sociedades modernas parecem ter submergido ao “dever da felicidade”. Esta moda da felicidade em conjunto com a retórica dos livros de auto-ajuda e do pensamento positivo quase me afastou deste projecto que, paradoxalmente, teve o seu embrião justamente com ela: Construir um “portfolio da felicidade”. Muito do que li ajudou-me, de facto, a ter consciência da minha felicidade e a experimentar com maior frequência estados de profundo bem-estar. Partilhar aquelas que considero serem as fontes essenciais da felicidade tornou-se uma prioridade. Cada um é “feliz à sua maneira”, mas a “porta da felicidade abre para fora”, como nos diz Kierkegaard, e gostaria que a “minha” (resultado de tantas outras) fosse uma porta que se abrisse a todos aqueles a quem a casa da felicidade possa acolher.




“L`hiver a cessé: la lumière est tiède
Et danse, du sol au firmament claire.
Il faut que le cœur le plus triste cède
A l`immense joie éparse dans l`air. »

Paul Verlaine


“A conversa com um amigo, a descoberta de um livro, uma gravura, uma visita a um museu, o contacto com a música podem significar momentos de grande apaziguamento, de grande serenidade, de grande enriquecimento interior. É nisso que consiste a felicidade, quando há uma coincidência entre aquilo que nós somos e o Mundo em que estamos.”
Mário Claudio


“Happiness comes from the capacity to feel deeply, to enjoy simply, to think freely, to risk life and to be needed."
S. Jameson





“Tenho uma missão, embora pequena: Ajudar outros que, como eu, andam à procura, quanto mais não seja pelo facto de lhes garantir que não estão sós.”

Herman Hesse

tags

todas as tags