Domingo, 28 de Março de 2010

Aprender

“As únicas metas realmente importantes para a nossa vida são aprender a amar os outros e adquirir conhecimentos.”

Sogyal Rinpoche

 

“Aprender é fazer de si um ser humano.”

Zhang Zai

 

Tornar-se humano é construir-se a si mesmo: Uma necessidade interna, um longo e difícil percurso. Em primeiro lugar, há que tomar consciência das nossas potencialidades. Depois, devemos aplicar-nos em desenvolve-las durante toda a nossa vida.

O confucionismo pretende, pela educação, pelos bons princípios, aperfeiçoar o homem, melhorar a natureza humana, procurar o caminho em direcção à sabedoria. Assim se cumprem e levam a bom termo as potencialidades do ser humano.

Os sábios chineses comparam o trabalho de aperfeiçoamento de si ao do artesão que transforma, pouco a pouco, uma pedra num objecto extremamente refinado, esmerando-se até ao mais pequeno detalhe. Quando nascemos somos esta matéria bruta; para fazer emergir e dar forma às potencialidades que ela encobre e para se tornar um ser humano digno desse nome, devemos proceder a um paciente trabalho de cinzelagem e polimento. O nosso maior adversário neste trabalho de ourivesaria é a preguiça mental. Os nossos maiores aliados: a atenção, a disciplina e a perseverança.

A aprendizagem é, assim, uma experiência sem limites para connosco próprios que deverá ser periodicamente avaliada. Nesse sentido foi feita uma pesquisa, no Brasil, que partiu da seguinte questão: “O que aprendeu, na sua vida, de mais valioso, até hoje?”

Eis algumas das respostas que nos convidam a reflexões:

- “Aprendi que, não importa quanto eu queira, nem quanto tente: Eu não consigo mudar ninguém. As pessoas são o que elas são. É preciso amá-las pela sua verdade, não pelo que elas forem. Entendi isso aos 70 anos, na missa das minhas bodas de ouro.

- Aprendi que o sorriso é contagiante. Não espero que as pessoas me cumprimentem, faço questão de saudar todo o mundo com um sorriso, todos os dias. É incrível, mas até as pessoas tímidas ou sisudas sorriem de volta e dizem bom dia.

- Aprendi que as coisas são sempre piores na nossa cabeça do que na realidade. Sofria demais por antecedência, imaginando “e se” isso, “e se” aquilo. Quando acontecia, não era nada demais. O pior já havia passado e foi dentro de mim.”

Aceitar, tomar a iniciativa, confiar... A aprendizagem é fonte de alegria em si e por si mesma.

 

Soube-me bem: Deitar-me na relva, contemplar a lua, o céu estrelado e lembrar-me destas palavras de Leopardi que me acompanham desde que as li há 10 anos:

“E quando olho no céu arder as estrelas

Digo pensando para mim:

Para quê tantas candeias?

Que faz o ar infinito e aquele profundo infinito sereno?

Que quer dizer esta solidão imensa? E eu que sou?”

 

Agradeço: O profundo infinito sereno.


PROPONHO PARA REFLEXÃO

Perguntar-se, de tempos a tempos, o que de importante aprendeu. A aprendizagem precisa ser identificada, amadurecida na alma e comemorada no coração.

publicado por descobrirafelicidade às 00:04
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De Existe um Olhar a 28 de Março de 2010 às 21:21
Ah...quem me dera estar agora aí, bem pertinho de ti, sentada ao redor de uma mesa, bebericando um chazinho e falando, falando sim...porque não me será possível traduzir por escrito tudo o que gostava de dizer.
Não sei se já leste a frase de Confúcio que tenho no meu blog :" Quando duas pessoas partilham um pão cada uma volta com um, quando partilham ideias, voltam com duas".
Gosto de partilhar este tipo de reflexões, que se coadunam na perfeição com a minha maneira de ser, de estar e de pensar. Não fui sempre assim; percebi a determinada altura que o meu caminho seria mais fácil se aceitasse as dificuldades, se tentasse perceber o que tenho de aprender com elas.
Aprendi a sorrir, mesmo com vontade de chorar, os outros não têm que levar com as minhas tristezas em cima.
Aprendi a amar incondicionalmente, sem nada pedir em troca, sem apegos, apenas ver quem eu amo muito feliz, mesmo que a felicidade dessa pessoa não passe por mim.
Aprendi a perdoar
Aprendi a suportar dores que julgava não conseguir ultrapassar.
Aprendi a estar sozinha sem ter medo da solidão.
Aprendi que por mais forte que seja, não consigo passar sem os meus amigos.

“Tenho uma missão, embora pequena: Ajudar outros que, como eu, andam à procura, quanto mais não seja pelo facto de lhes garantir que não estão sós.”


Bela missão amiga!
Beijos
Manu
De descobrirafelicidade a 29 de Março de 2010 às 12:28
E que bom seria um chazinho esta tarde Manu! Agora quem ficou com um "implante de entusiasmo", energia positiva e um brilho no olhar, fui eu, ao ler-te. Sentir esta receptividade e feedback enriquecedor deu um ânimo enorme ao meu dia. Bom mesmo! E sim, li logo a frase do teu blog (a qual foi mais um motivo para ir ao teu encontro). Descobri-te no blog da Marta e a ela devo mais esta riqueza. Ter-vos às duas, sentir a vossa compreensão, ler o que escrevem e sempre me acrescenta, preenche-me absolutamente. Agradeço-te do coração
Nota: Fiquei muito tocada por teres reparado na "minha missão". Obrigada mais uma vez
De Marta M a 28 de Março de 2010 às 23:48
Teresa:
Gosto tanto de ler-te (e à Manu ) e perceber que não estou sozinha nesta cruzada de estar apostada em crescer, crescer todos os dias até ao fim da minha vida...Repito-o aos meus filhos e alunos, e procuro que entendem que uma das suas obrigações é investirem em si memos no sentido de se tornarem mais sábios e, assim, terem mais alternativas na hora das escolhas e do traçar dos caminhos...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Teresa: <BR>Gosto tanto de ler-te (e à Manu ) e perceber que não estou sozinha nesta cruzada de estar apostada em crescer, crescer todos os dias até ao fim da minha vida...Repito-o aos meus filhos e alunos, e procuro que entendem que uma das suas obrigações é investirem em si memos no sentido de se tornarem mais sábios e, assim, terem mais alternativas na hora das escolhas e do traçar dos caminhos... <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Sera</A> que assim, como ingenuamente acreditei durante anos, os posso poupar ao sofrimento? Talvez a algum, mas se não for por uma mão, será por outra, eles hão de ser confrontados com situações que os farão sofrer e...crescer. <BR>Lutei durante anos a tentar mudar as circunstâncias das vidas que me eram próximas, e muito tarde percebi o "tanto" não estava na minha mão... <BR>Fiquei muito revoltada com isso pois achava que, se fizesse tudo certo, planeado e pensado, como se de uma matemática se tratasse, tudo correria bem. <BR>Não foi assim. <BR>Ainda estou em estágio desde essa altura... <BR>Não sei muito bem quando termina. <BR>Boa semana para ti. <BR>Gostei de falar convosco ;)
De descobrirafelicidade a 29 de Março de 2010 às 12:40
E eu ler-vos a vocês Marta! Como disse à Manu devo-te mais este encontro que me preenche. E tão boa que é esta sensação de compreensão, de alimentar a minha alma com as vossas palavras que me enriquecem constantemente. Bom sentir-me acompanhada neste caminho de crescimento. Bom saber-vos comigo. Bom estar convosco. A felicidade, para mim, é isto também. E... Hoje fiquei mesmo feliz. Obrigada amiga! Que tenhas um descanso como desejas e mereces nestes dias. Um abraço grande
De Marta M a 28 de Março de 2010 às 23:50
Teresa:
Sempreque tento introduzir um smile o texto desformata...
Não percebo.
Desculpa a má apresentação.
De descobrirafelicidade a 29 de Março de 2010 às 12:41
Não tem mal. O que interessa é a intenção e eu só vejo smiles no teu texto. Bjs
De Caminhando... a 29 de Março de 2010 às 17:22
Olá Teresa!

Mais um post que enche e de que maneira a alma e que ao le-lo me fez suspirar pela sua beleza e conteudo que vai ao encontro do que acredito e faço por ter sempre presente nesta minha caminhada.
A aprendizagem nunca é excessiva e, existe sempre algo para absorver e transmitir.

Acredito firmemente que, tal como referes, me tornarei num melhor ser humano se me apoiar e nuncar deixar de seguir os valores, principios e educação que me foi transmitida e fui adquirindo ao longo deste trajecto ainda curto mas recheado de aprendizagens.

Este teu post dava para muitas mais palavras...

Beiijnhos para ti
De descobrirafelicidade a 30 de Março de 2010 às 19:11
Joana
Esta aprendizagem só é possivel numa relação de troca, de reciprocidade. Para a minha aprendizagem a partilha contigo é fundamental. Por isso, minha amiga peço-te que continuemos a percorrer este caminho juntas. ABRAÇO-TE com muito carinho
De Marcolino a 1 de Abril de 2010 às 23:26
OLá Teresa!
Uma boa e santa Páscoa, passada com os seus, na maior paz, e tranquilidade!
Abraço
Marcolino
De descobrirafelicidade a 2 de Abril de 2010 às 11:58
Marcolino
Uma santa Páscoa para si também na companhia dos seus.
De Marta M a 3 de Abril de 2010 às 16:43
Teresa:
Apenas uma visistinha rápida para desejar-te Boa Páscoa!
Até Domingo.
Abraço
Marta M
De descobrirafelicidade a 3 de Abril de 2010 às 23:55
E que bem soube esta tua visitinha Marta. Uma boa Páscoa para ti também.

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Portfolio da felicidade

Amizade, respeito e liber...

Magnolia

Recursos emocionais renov...

Três lições do Tao

A bagagem da outra pessoa

Nostalgia

Encontrar o nosso "apelo ...

Coerência interna

Autonomia interior

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Descobrir a Felicidade

O tema da felicidade tem dominado os livros, estudos académicos e palestras dos últimos tempos. Inunda campos que vão desde a filosofia política, psicologia, sociologia e literatura até modelos económicos. Procura-se a “fórmula da felicidade” e a solução da “equação da felicidade”. As sociedades modernas parecem ter submergido ao “dever da felicidade”. Esta moda da felicidade em conjunto com a retórica dos livros de auto-ajuda e do pensamento positivo quase me afastou deste projecto que, paradoxalmente, teve o seu embrião justamente com ela: Construir um “portfolio da felicidade”. Muito do que li ajudou-me, de facto, a ter consciência da minha felicidade e a experimentar com maior frequência estados de profundo bem-estar. Partilhar aquelas que considero serem as fontes essenciais da felicidade tornou-se uma prioridade. Cada um é “feliz à sua maneira”, mas a “porta da felicidade abre para fora”, como nos diz Kierkegaard, e gostaria que a “minha” (resultado de tantas outras) fosse uma porta que se abrisse a todos aqueles a quem a casa da felicidade possa acolher.




“L`hiver a cessé: la lumière est tiède
Et danse, du sol au firmament claire.
Il faut que le cœur le plus triste cède
A l`immense joie éparse dans l`air. »

Paul Verlaine


“A conversa com um amigo, a descoberta de um livro, uma gravura, uma visita a um museu, o contacto com a música podem significar momentos de grande apaziguamento, de grande serenidade, de grande enriquecimento interior. É nisso que consiste a felicidade, quando há uma coincidência entre aquilo que nós somos e o Mundo em que estamos.”
Mário Claudio


“Happiness comes from the capacity to feel deeply, to enjoy simply, to think freely, to risk life and to be needed."
S. Jameson





“Tenho uma missão, embora pequena: Ajudar outros que, como eu, andam à procura, quanto mais não seja pelo facto de lhes garantir que não estão sós.”

Herman Hesse

tags

todas as tags