Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009

Os sonhos de Walt Disney

 
  "Naquele dia (...)

   Deixei de me importar com quem ganha ou perde. Agora importa-me simplesmente saber melhor o que fazer.

    Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima e sim, deixar de subir.

   Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de "amigo".
  Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, "o amor é uma filosofia de vida".
  Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma ténue luz no presente.
  Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
  Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
  Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para se tornar realidade.
  E desde aquele dia já não durmo para descansar... simplesmente durmo para sonhar.

                                                                                                   
   Walt Disney

       

  Walt Disney foi um homem que sempre acreditou nos seus sonhos.  
Decisão, vontade, persistência e muita criatividade eram as virtudes mais marcantes deste homem que construiu um império. O seu capital inicial? Apenas o talento artístico.
 O seu lema era: "Se nós podemos sonhar, nós podemos fazer".
         Conhecemos muitos dos seus sonhos tornados realidade: O personagem Mickey Mouse e o primeiro parque temático do mundo  Disneylândia são dois exemplos.  
Walt Disney não pretendia sensibilizar apenas os corações infantis, conforme ele mesmo afirmou: "não faço filmes especialmente dedicados às crianças. Chamemos a criança de inocência. Mesmo o pior de nós não é desprovido de inocência, ainda que ela esteja profundamente enterrada. Na minha obra, tento alcançar e falar a essa inocência"

À vida de Walt Disney não faltaram obstáculos e dificuldades, mas ele não se deixou levar pelas circunstâncias desfavoráveis que o rodearam e segurou o leme da sua própria embarcação.

 

     Soube-me bem: Relembrar episódios da minha infância.

     Foi inspirador: Rever este vídeo

 

        Agradeço: O poder de sonhar.

 

 

 

tags:
publicado por descobrirafelicidade às 21:12
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Cidália a 3 de Dezembro de 2009 às 00:31
Passei para dar um beijinho e gostei de ver o WD .

beijos grds
Cid
De descobrirafelicidade a 5 de Dezembro de 2009 às 18:24
Que bom este beijinho! Soube mesmo bem o teu alô. Bom fim de semana para ti
De Marta M a 4 de Dezembro de 2009 às 23:11
Obrigada, obrigada Teresa ;)
Também voltei, não tanto à minha infância,mas à infância dos meus filhos e das tardes que passámos a ver os clássicos do Disney. Era como fugir do mundo sentados no cinema ou no sofá, bem abraçadinhos...
Que saudades!
Citando W. Disney: "Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais".
Tu iluminaste o meu dia!
:)
De descobrirafelicidade a 5 de Dezembro de 2009 às 18:41
Marta
Quando escrevi este post pensei, sobretudo, em ti e foi para ti (só que não disse logo porque estava à espera de ver se te alegrava um pouquinho). Fiquei muito contente por me dizeres que um raiozinho de luz tinha aparecido. E tens razão quando dizes que W. disney nos transporta para a infância dos nossos filhos. A primeira cassete que o meu filho mais velho recebeu foi o Bambi que ele viu vezes sem conta e o fez entrar noutra dimensão literalmente. Depois quase sempre que surgia uma nova cassete da Disney a minha Mãe lá a comprava e ainda tenho várias prateleiras de um armário cheias delas. Só que parte da infância dos meus filhos foi passada num período bem difícil para mim e acho que, inconscientemente, tento não me lembrar. Acabei por não lhes dar todo o apoio que estavam a precisar e eles refugiaram-se muito neste mundo de fantasia. Em todo o caso, foi um refúgio que os acolheu. Um abraço quentinho para ti
De Anónimo a 6 de Dezembro de 2009 às 12:13
Realmente!
No tempo dos filmes do Walt Disney eu adorava desenhos animados!

"Durmo para sonhar... " Adoro sonhar. Nunca sei se foi sonho ou se aconteceu mesmo...
Não consigo é tornar alguns sonhos em realidade. É preciso ter muita força. Ainda estou na esperança de conseguir essa força.
M. Eduarda Galhoz
De descobrirafelicidade a 6 de Dezembro de 2009 às 17:44
Eduarda
Que bom tê-la aqui comigo. Quantos aos sonhos nem sempre os realizamos todos é certo, mas se calhar, os que realizamos são os que realmente importam. É mesmo preciso ter força e acreditar que vai realizar aqueles que lhe faltam com mais significado para si. Creio que a tem Eduarda e com certeza que os vai realizar. Um abraço de esperança
De Maria Eduarda a 6 de Dezembro de 2009 às 21:01
Teresa
Foi bom sentir a sua presença.
Estou a ver se pinto a Amália. Comecei hoje.
Dia 14 de Janeiro, os Jograis vão dizer , no Palácio, poemas que a Amália cantou e querem a Amália em cima do piano.
Estou a tentar...
Abraço
Eduarda
De descobrirafelicidade a 6 de Dezembro de 2009 às 22:29
Eduarda
Tenho a absoluta certeza de que a Amália vai mesmo ficar em cima do piano a cantar pelas vssas vozes.
E é reciproco o bem que sabe sentir a presença uma da outra. Acredite Eduarda que está no meu coração. Um abraço quentinho
De Maria Eduarda a 6 de Dezembro de 2009 às 20:52
DOMINGO !!!
Dia para descansar.
Eu canso-me a descansar.
Não vejo as pessoas do costume.
As lojas , de porta fechada, deixam-nos passar com indiferença.
Os amigos estão com a família.
Abençoados animais que nunca falham.

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Portfolio da felicidade

Amizade, respeito e liber...

Magnolia

Recursos emocionais renov...

Três lições do Tao

A bagagem da outra pessoa

Nostalgia

Encontrar o nosso "apelo ...

Coerência interna

Autonomia interior

arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Descobrir a Felicidade

O tema da felicidade tem dominado os livros, estudos académicos e palestras dos últimos tempos. Inunda campos que vão desde a filosofia política, psicologia, sociologia e literatura até modelos económicos. Procura-se a “fórmula da felicidade” e a solução da “equação da felicidade”. As sociedades modernas parecem ter submergido ao “dever da felicidade”. Esta moda da felicidade em conjunto com a retórica dos livros de auto-ajuda e do pensamento positivo quase me afastou deste projecto que, paradoxalmente, teve o seu embrião justamente com ela: Construir um “portfolio da felicidade”. Muito do que li ajudou-me, de facto, a ter consciência da minha felicidade e a experimentar com maior frequência estados de profundo bem-estar. Partilhar aquelas que considero serem as fontes essenciais da felicidade tornou-se uma prioridade. Cada um é “feliz à sua maneira”, mas a “porta da felicidade abre para fora”, como nos diz Kierkegaard, e gostaria que a “minha” (resultado de tantas outras) fosse uma porta que se abrisse a todos aqueles a quem a casa da felicidade possa acolher.




“L`hiver a cessé: la lumière est tiède
Et danse, du sol au firmament claire.
Il faut que le cœur le plus triste cède
A l`immense joie éparse dans l`air. »

Paul Verlaine


“A conversa com um amigo, a descoberta de um livro, uma gravura, uma visita a um museu, o contacto com a música podem significar momentos de grande apaziguamento, de grande serenidade, de grande enriquecimento interior. É nisso que consiste a felicidade, quando há uma coincidência entre aquilo que nós somos e o Mundo em que estamos.”
Mário Claudio


“Happiness comes from the capacity to feel deeply, to enjoy simply, to think freely, to risk life and to be needed."
S. Jameson





“Tenho uma missão, embora pequena: Ajudar outros que, como eu, andam à procura, quanto mais não seja pelo facto de lhes garantir que não estão sós.”

Herman Hesse

tags

todas as tags